‘As pessoas podem levar o vírus para casa, é preciso manter os cuidados’, alerta secretária de Saúde sobre síndromes gripais

0
21

A secretária de Saúde, Silvana Vedovelli, esteve na unidade e avaliou a situação

As crianças, especialmente bebês com menos de 1 ano, têm sido as mais acometidas pelo surto de síndromes respiratórias que atinge o Amapá. Neste sábado, 20, o Hospital da Mulher Mãe Luzia (HMML), registrou 15 recém-nascidos internados em leitos clínicos com os sintomas. A maternidade atende crianças com até 28 dias de vida.

A secretária de Saúde, Silvana Vedovelli, esteve na unidade e avaliou a situação. Ela destacou a necessidade dos adultos reforçarem os cuidados para não transmitirem a doença aos pequenos.

“A maternidade também tem recebido essas crianças, o que nos preocupa, principalmente porque são crianças muito novas e que estão sendo expostas a doenças que podem agravar. Nossa orientação maior é a proteção, evitar as visitas aos recém nascidos, evitar expor essa criança a ambientes fechados e lotados, além de tudo, reforçamos que, apesar desse bebê não poder se vacinar, a mãe, o pai, avó podem, então é importante que todos busquem a proteção”, destaca Silvana.

O Amapá enfrenta um surto de síndromes respiratórias que tem atingido, principalmente, crianças menores de 6 anos de idade. Até às 10h deste sábado, 145 crianças estavam internadas no Pronto Atendimento Infantil (PAI) e Hospital da Criança e Adolescente (HCA), sendo 34 em unidades intensivas e 109 em leitos clínicos.

As recomendações indicadas são o isolamento e distanciamento em caso de sintomas gripais como febre, coriza, tosse, dor de cabeça, calafrios, distúrbios olfativos e gustativos. As ações são válidas para crianças e adultos, que também podem se infectar.

“É importante que a gente entenda que tanto o adulto quanto a criança podem pegar a doença, mas a criança, por ter um sistema imunobiológico às vezes incompleto está mais suscetível ao agravo, portanto, o cuidado começa pelo responsável, que pode acabar infectando essa criança”, explica a secretária.

Desde o decreto de situação de emergência na saúde pública no dia 13 de maio, foram registrados 6 óbitos de crianças vítimas de síndromes gripais. Dois deles ocorreram neste sábado.

O Estado segue monitorando e adotando medidas para diminuir os casos graves de doenças respiratórias e estimula a população a manter a caderneta de vacinação atualizada.

Confira as recomendações:

  • A pessoa com sintomas gripais, por dois dos seguintes sintomas: febre, calafrios, dor de garganta, dor de cabeça, tosse, coriza, distúrbios olfativos e gustativos, deve ser orientado a seguir as medidas de prevenção de transmissão do vírus e a realização do teste para rápido de antígeno e a realização de RT-PCR para a identificação do vírus respiratório;
  • Utilização de máscaras em ambientes fechados;
  • Isolamento domiciliar de caso suspeito ou confirmado em período de transmissão da doença;
  • Higienização das mãos frequente e uso de máscaras (caso suspeito e/ou confirmado e profissionais de saúde);
  • Manter distanciamento físico e isolamento de caso suspeito ou confirmado;
  • Atualizar a carteira de vacinação, com o imunizante contra a Influenza;
  • Os pais devem manter as crianças menores de 5 anos fora do ambiente escolar se apresentar sintomas gripais.

Notícia retirada do portal do Governo do Amapá.
Link da matéria no portal do Governo do Amapá

Matéria de Rafaela Bittencourt
Fotos de João Paulo Gonçalves/GEA

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here