Fortaleza de São José já atraiu mais de 30 mil visitantes em 2023

0
26

A Fortaleza de São José de Macapá contabilizou uma média de 30 mil visitas de janeiro a junho de 2023. O número representa mais da metade do que foi registrado durante todo o ano de 2022, quando 56 mil pessoas estiveram no monumento histórico. 

O espaço, que é classificado como um museu, é administrado pelo Governo do Amapá e, atualmente, disputa o título de Patrimônio Histórico da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Em 2023, a Fortaleza já atraiu tanto visitantes brasileiros como pessoas de outros países. Além disso, escolas e outras instituições integram o público que frequentou o espaço nos primeiros seis meses deste ano. A gerente do monumento, Flávia Souza, detalha que a preservação e a história do local são fatores que atrem muitos visitantes, entre moradores e turistas. 

“É um dos principais pontos turísticos do estado e um espaço que agrega tanto pela sua grandeza histórica quanto estrutural, somos uma rota turística e de conhecimento, por isso quem passa pelo Amapá sempre vem à Fortaleza”, conta.

O espaço conta com quatro baluartes, áreas de vigias utilizadas para proteção e monitoramento dentro da fortificação. Os mais importantes são voltados para o Rio Amazonas e são batizados de baluarte de Nossa Senhora da Conceição e de São Pedro. 

Os outros dois, voltados para a área urbana, são os de São José e Nossa Senhora Madre de Deus. Além disso, o monumento conta com a praça das armas, fosso seco, casamatas e capela, entre outras áreas disponíveis para visitação.

Diretamente do estado de São Paulo, o agente administrativo Antônio César veio a trabalho ao Amapá e aproveitou o dia de folga para visitar o monumento pela primeira vez com os amigos. Segundo ele, é incrível ver um espaço tão grande ainda preservado.

“Somos de um estado em que prédios históricos estão abandonados pelo tempo e se destruindo, o que nos surpreende é poder vislumbrar a Fortaleza dessa maneira, tão preservada e sabendo que ainda estará aqui para as futuras gerações”, explica o visitante.

Visitações

O espaço histórico ficou fechado por dois anos por conta da pandemia de Covid-19 e retornou em 2022 com visitas presenciais. Escolas, grupos de estudos, turistas, entre outros, podem fazer visitas guiadas ou agendadas durante todo o ano, de terça-feira a domingo, de 8h às 17h.

Para as visitações de grupos de pessoas, é importante que as instituições façam o agendamento prévio através do e-mail museufortalezadesaojose@gmail.com, com pelo menos uma semana de antecedência.

“Além disso, é importante que cada pessoa que passe por aqui faça a assinatura do livro de visitantes para que possamos ter a dimensão do alcance do espaço, pois dessa maneira coletamos as informações sobre de onde essas pessoas vêm e o perfil desse público”, explica a gerente do Museu.

Candidata a patrimônio da humanidade

Construída no período de 1764 a 1782 para proteger as fronteiras do “Cabo Norte”, como era conhecido o Amapá no período colonial, a Fortaleza de São José de Macapá é a única deste tipo no Brasil, e a maior construída pelos portugueses na América do Sul.

Junto com outras 18 fortificações deste período – 16 ao longo da costa e outras duas na fronteira continental -, ela ajuda a contar a história da formação territorial do país e da ocupação europeia na América.

Tamanha relevância tanto nacional quanto internacionalmente, explica o superintendente do Iphan no Amapá, Haroldo Oliveira, rendeu a candidatura ao título de Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

E é para proteção e preservação desse bem pertencente aos amapaenses que a Fortaleza foi tombada, pelo Iphan em 1950 e pelo estado do Amapá, em 2005. O processo de tombamento pelo poder público institui diversas condicionantes para garantir a integridade histórica da edificação, como limitação de público, preservação da identidade visual da fachada, e estudos específicos para serviços como pintura e reparos estruturais.

Notícia retirada do portal do Governo do Amapá.
Link da matéria no portal do Governo do Amapá
Matéria de Rafaela Bittencourt
Fotos de Nayana Magalhães/GEA

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here