Governo do Amapá traça estratégias para potencializar produção de pescado

0
27

O Governo do Amapá formula estratégias para ampliar e potencializar a pesca artesanal e toda a cadeia econômica envolvida, por meio de um mapeamento realizado com o Ministério da Integração e Desenvolvimento Regional (MIDR) nos municípios de Amapá, Calçoene e Oiapoque.

As informações coletadas vão servir como base para a implementação de um plano de fortalecimento da cadeia produtiva do pescado. O assunto foi tema de encontro realizado em Oiapoque neste sábado, 27, entre representantes de órgãos estaduais, federais, entidades ambientais, do setor produtivo e associações de pesca.

Com a utilização sustentável do potencial econômico dos grandes rios do Amapá, o Estado atua para criar empregos e oportunidades para novos negócios, como a startup Econutri. A empresa faz o aproveitamento de resíduos de peixe para produzir farinha e óleo, utilizados em fábricas de ração animal.

“Com o conhecimento sobre a quantidade de resíduos de peixe que é gerado no Amapá, é possível que muitos outros empreendimentos como a Econutri apareçam para atender uma demanda de mercado e, ao mesmo tempo, contribuir para a preservação ambiental do estado”, explicou o diretor da empresa, Daniel Araújo.

Nas localidades onde o levantamento ocorreu, foram identificados os principais desafios vivenciados por quem trabalha no setor pesqueiro, como a estrutura para escoamento da produção e acesso às linhas de crédito para financiamento dessa atividade.

“Inclui infraestrutura de embarque e desembarque do pescado, fábricas de gelo, linhas de financiamento adequadas para que os trabalhadores do setor pesqueiro ampliem a produção. Dessa forma, a gente vai melhorar toda a cadeia da pesca artesanal, gerando emprego e renda”, destacou o secretário de Estado da Pesca, José Cordeiro.

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Regional, também foi possível elaborar uma carteira de projetos que poderão viabilizar investimentos, captar recursos e otimizar o setor pesqueiro do Amapá.

“Criar uma carteira de projetos é a forma da gente viabilizar o investimento, planejamento das intervenções na parte de produção,  na pesca, na captura, no processamento da filetagem do pescado e também na implementação de novas tecnologias que podem ajudar o setor pesqueiro do estado”, pontuou o coordenador geral de Gestão do Território, Vitarque Coelho.

Notícia retirada do portal do Governo do Amapá.
Link da matéria no portal do Governo do Amapá
Matéria de Kelison Neves
Fotos de Kelison Neves/GEA

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here